Impressões sobre o livro As Cinco Linguagens do Amor

24/03/2021 | Nenhum comentário

“A necessidade de significado é a força emocional por trás da maior parte de nossos atos.” (CHAPMAN, Gary. P. 141)

O livro possui como objetivo principal elucidar que cada ser humano possui seu jeito de demonstrar amor e se sentir amado. Após anos de experiência aconselhando casais em crise, o autor detectou cinco tópicos que resumem como devemos demonstrar afeto. Esses tópicos são as cinco linguagens do amor. Segue meu entendimento sobre cada uma delas:

  1. Palavras de afirmação: demonstrar por palavras o quanto ama, elogiando, falando de seu amor. Evitar aqui ser ignorante, trocando cobranças exacerbadas e/ou palavras destrutivas por pedidos e palavras instrutivas;
  2. Qualidade de Tempo: buscar sempre fazer coisas juntos como caminhadas, piqueniques, saídas para jantar etc, ou seja, se divirtam juntos;
  3. Receber presentes: de fato é a linguagem do amor mais simples de aprender e talvez a mais cara de aplicar. Mais que exemplificar a compra/feitio de presentes para o cônjuge, o autor associou o receber presentes com ofertamos nosso tempo ao cônjuge nos momentos bons e ruins. Ter o cônjuge ao lado nessas horas também é uma forma de “receber um presente”;
  4. Formas de servir: entender as coisas que o cônjuge gostaria que você fizesse por ele e vice-versa. Exemplo pessoal: até gosto da ideia de cozinhar, mas é fato que adoro a comidinha que minha esposa faz;
  5. Toque físico: nome bem autoexplicativo. Diz respeito a linguagem do amor na qual o cônjuge se sente amado através de abraços, beijos e outros toques carinhosos.

Esta obra é bibliografia obrigatória para todos casais, pois ensina-nos como amar nosso cônjuge do jeito certo, garantindo um casamento eficiente e com todas potencialidades que cada cônjuge pode oferecer.

Esse é o tipo de livro que deve ser lido sem pressa de acabar e se possível em conjunto pois ele não se propõe a ser uma receita de bolo para identificar e usar as cinco linguagens do amor. Recomendo fortemente que ao lê-lo, marido e mulher busquem refletir sobre o que tem sido lido e façam o exercício de elencar, da mais importante para a menos importante, quais são suas linguagens do amor. Fiz isso, e achei bem esclarecedor.

Livros são ótimos para nos enriquecer como seres humanos. Este livro nos permite pensar muito sobre como entender o próximo, mas tenho como convicção que nada vale bons livros, faculdades, TED Talks, etc se não sermos verdadeiros seguidores de Cristo, pois bem antes de Chapman cunhar o conceito das cinco linguagens do amor, Jesus já nos ensinava a amar ao próximo, mas costumeiramente fazemos vista grossa para tal. Recomendo que mais que leituras, sejamos praticantes daquilo que aprendemos, pois isso sim transforma a nós mesmos e pessoas a nossa volta.

Esses são meus dois centavos quando o assunto é recomendar uma boa leitura, espero que goste. Até logo e obrigado pelos peixes…

Importante: Capítulo treze é uma excelente contextualização do uso das cinco linguagens do amor na criação dos filhos; Capítulo quatorze é evidenciado o óbvio: a base do amor conjugal está em Jesus, o maior exemplo de amor.

Imagem thumbnail dispoível em: https://images.app.goo.gl/NgkqFKGqKb6gVx4J9

Tags:, , , , ,

Deixe seu comentário